Costa Verde e Mar

Um circuito autoguiado ideal para a primeira viagem

Categoria

Quando o site OndePedalar.com começou em 2007 só tínhamos notícias do Vale Europeu e Caminho da Fé como circuitos autoguiados para bike. O Vale foi projetado para bicicleta desde o início, já o Caminho, assim como outras rotas peregrinas, surgiu na esteira da fama de Santiago de Compostela.

Hoje temos várias rotas para escolher e sugerir nesta seção da Revista, mas decidimos pela Costa Verde por ser o mais indicado para uma primeira cicloviagem. Neste circuito, nenhum problema que possa ocorrer com você, a bike ou a bagagem irá atrapalhar seu passeio. Você estará sempre perto da solução.

O desenho da rota é em forma de 8. Dessa maneira, você passa por Balneário Camboriú duas vezes, uma indicação de que tudo é próximo. Esse formato também possibilita fazer partes do circuito de acordo com seu tempo. O esquema está montado para você pedalar pouco por dia, cerca de 40 km, com um total de 6 dias de viagem. Se não tiver uma semana disponível, você pode fazer a parte sul num fim de semana ou usar um feriado de quatro dias para o lado norte, responsável pelo verde que dá nome ao circuito

Roteiro

A base e ponto de partida é Balneário Camboriú. Partindo do canal ao sul da praia principal, você segue rumo norte em direção a Itajaí. É praticamente tudo orla com pequenos morros separando uma praia da outra. O único morro que requer um pouco mais de perna é exatamente o primeiro. Se o achar fraco, pode optar pelos roteiros adjacentes, como o Morro do Careca, que é logo em seguida, acessado por uma saída à direita. Além de uma super vista, você pode dar sorte e encontrar o pessoal do parapente decolando.

O restante do primeiro dia é só passeio. Você irá passar pelo centro de Itajaí, cruzar o rio de balsa, esticar um retão em Navegantes, curtir um visual nas vilas de pescadores em Penha e finalizar no Balneário Piçarras. Não tenha pressa, esse trecho é leve e você pode parar à vontade para fotografar todas as paisagens.

Em Piçarras começa a parte verde do circuito. Saindo da cidade, você vai passar por baixo da BR 101 e segue por entre plantações de banana, pupunha e arroz até Luiz Alvez. As estradas passam a ser de saibro, ou terra batida, e seu principal atrativo é a tranquilidade.

De Luiz Alvez, você seguirá, ainda por estradas rurais, para o sul até Ilhota, onde cruza mais uma vez o Rio Itajaí. Esse trecho é curto e praticamente plano. Por ser pequeno, é possível vinculá-lo ao seguinte numa jornada de um dia. De Ilhota até Camboriú o terreno ainda continua suave e o total de 75 km, contando os dois trechos, é tranquilo para quem está com as pernas em dia.

Em Camboriú você estará a 8 km do ponto de partida. No entanto, a rota segue por distritos rurais em direção ao sul do Balneário indo direto a Porto Belo, Bombas e Bombinhas. Nesse ponto o pedal volta à orla até chegar à praia de Zimbros, a mais interessante dessa península.

O último trecho é a ligação entre Zimbros e o Balneário Camboriú. Saindo de Bombas, você é guiado a cruzar a BR novamente indo para o lado rural da região até o bairro de Tucaneiras. De lá, você volta em direção ao litoral para ver as praias do sul de Balneário Camboriú, que, por sinal, são as mais belas do município. No meio desse trecho está a subida mais complicada de todo o percurso, o Morro do Areal. Ele, associado à saída de Tucaneiras, faz desse dia o mais esportivo de todos. Se isso for um problema, é possível cortar o morro, subindo sentido norte pela BR-101 por uns 5 km até o começo da Interpraias. No entanto, esses poucos quilômetros ao lado dos caminhões que dominam o pedaço podem ser muito estressantes e até perigoso. É preciso avaliar muito bem.

Como Fazer

Como chegar

Balneário Camboriú tem ônibus direto de várias cidades de São Paulo além da capital, como Santos, ABC e Campinas. De Curitiba há vários horários que fazem da capital do Paraná uma boa ligação avião-ônibus para quem é de longe. Isto porque o traslado entre aeroporto e rodoviária da capital paranaense, o Ligeirinho, é bom e barato. Essa conexão é melhor que a de Floripa, de onde a Catarinense também oferece vários horários para o Balenário, pois o aeroporto da capital de Santa Catarina é longe da rodoviária e, dependendo do horário, o acesso pode ser difícil.

De avião a melhor opção é Navegantes, uma das cidades do Circuito. No entanto, com menor quantidade de voos, o preço pode se tornar um fator relevante.

De carro a via é a BR 101 que, na saída de Curitiba, tem o nome de BR 356. Ela liga as capitais de todos os estados do sul pelo litoral.

Guia e planilha: http://www.costaverdemar.com.br/cicloturismo/

Hospedagem

Hospedagem

Fora da temporada de verão, como todo o circuito é bem servido de hotéis e pousadas, achar lugar pra ficar é muito fácil. Os preços variam de 50 a 100 reais para pousadas e até é possível escolher na hora sem reservar. A exceção fica para Luiz Alvez, onde só há um hotel.

Durante o verão os preços sobem bastante e reservar é fundamental. Outro momento que demanda reservas é Outubro, durante a Octoberfest, quando a cidade de Balneário Camboriú fica cheia. No entanto, os preços permanecem razoáveis.

 

Perguntas e respostas de leitores