Mecânica de bike para viajantes

Mecânica de bike para viajantes

O que você precisa saber sobre sua bike antes de sair em viagem pedalando

Uma manhã encontrei três ciclistas com as bicicletas carregadas na oficina principal de Bertioga. Eles estavam no segundo dia de viagem em direção à Bahia. No dia anterior, saíram de São Paulo e pegaram um pouco de chuva. Foi o suficiente para os cabos de uma das bikes começarem a dar problemas. Esse era um dos itens que iam revisar na loja. Agora imaginem entre Rio em Espírito Santo onde lojas de bike são raras, ainda mais para bicicletas com marchas. Por esse motivo, ter um kit básico de reparo e entender o básico da sua bike é fundamental para pode viajar.

Não tem outro jeito. Em uma viagem longa a bike vai necessitar de algum ajuste. Ainda mais se você pegar chuva, rio ou areia pelo caminho. A chuva mexe com a tensão dos cabos, o mesmo acontece ao atravessar um rio. Areia ou lama comem pastilhas ou sapatas de freio e esses são os problemas mais comuns. O primeiro pode deixar a viagem mais chata, mas freio é item de segurança e deve ser mantido em dia.

Por tudo isso, preparamos uma lista do que você precisa saber:

Ajustar a tensão dos cabos de freio e câmbio – Olhe nos manetes de freio e câmbio para encontrar um terminal com rosca. Quando desrosqueado, esse terminal aumenta o tamanho do conduíte, aumentando assim a tensão no cabo. Quando a marcha mais leve não entra, basta algumas voltas nesse terminal para fazê-la chegar ao ponto. Para o câmbio traseiro, há terminal também junto ao câmbio para ajudar caso o do manete não dê conta.

Trocar pastilha ou sapata de freio – As sapatas de freio V-Brake são presas por um parafuso com arruelas orbitais para um ajuste inclinado. Basta observar como essas arruelas estão colocadas no seu freio e repetir a montagem. Para ajustar, encoste a sapata no aro e aperte bem devagar mantendo a posição. Existem manhas para tornar o freio mais eficiente, mas, para isso, consulte o DVD Manutenção de Bike para Ciclistas.

Para pastilhas de freio a disco, é necessário consultar o manual do seu freio. As que são presas por um parafuso ou presilha são mais simples de trocar. As de encaixe e imantadas requerem o cuidado de não empurrar o freio quando ele esta fora do disco, pois elas colam e só com sangria para abrir novamente.

Ajustar a pastilha fixa do freio a disco por cabo – Esse tipo de freio tem uma pastilha que fica no batente da pinça. Com o uso, ela gasta e vai abrindo folga. Depois de um dia de chuva ou em períodos regulares é necessário encostar essa pastilha no disco até segurar a roda e depois voltar um quarto de volta no parafuso de ajuste para soltar a roda. Assim você a mantém o mais próximo possível.

Trocar a câmara do pneu e saber remendá-la – Pneu e câmara furam; em viagens longas furam mais de uma vez. Por isso, é fundamental ter uma câmara extra e um kit para reparar o furo na parada . Assim, você evita ter de levar mais de uma de reserva. Treine em casa com uma câmara velha para pegar a manha do uso das estrelinhas e da cola de borracha.

Emendar a corrente – Mesmo nova um corrente pode quebrar. Levar uma extra não ajuda em nada porque, mesmo assim, você terá que saber unir os elos. No entanto, hoje em dia, os links de correntes facilitam o trabalho. Basta você limpar o elo que quebrou deixando-o só com as partes internas e encaixar o link de corrente. Uma vez colocado, a pressão de uma pedalada o faz travar no lugar certo.